Social Media Week São Paulo atrai estudantes e profissionais da área

A Agência Referência Brasil acompanhou ao longo desta semana algumas palestras

Começou na última segunda-feira (10) o Social Media Week São Paulo. A Arb abriu o dia com a palestra”Como encantar clientes na era 4.0″. Nela foi abordada modos de experiências para serem vividas, além dos desafios diários. O principal ponto ressaltado é que se deve estar disposto a entender a mudança do cliente, considerando a constante atualização do mundo. O palestrante, Eduardo Marostica, abordou também sobre os sete pecados do atendimento fazendo uma breve dissertação sobre  cada um deles. Segundo ele, é necessário compreender que o cliente tem que ser tratado como rei, ou seja, ser valorizado. Ao final da palestra, deixou uma pergunta: Qual sua raridade? (você saberia responder?)

(Eduardo Marostica)

Passamos para a próxima palestra, com Carolina Lima, estrategista digital da Resultados Digitais, com o tema “Aprenda na prática 10 dicas para atuar no digital hoje.” Ela falou sobre o modo de interação, que é o mais aconselhável para se ter uma maior aproximação com cliente. Seguir a linha de raciocínio e também  ideias do cliente/consumidor é um ótimo caminho, por mais que seja um tanto fora do comum.

(Carolina Lima)

Na era em que tudo está acontecendo muito rápido e a ficção parece estar cada vez mais parecida com a realidade, a palestra  “ Tendências da transformação digital: O mundo nunca foi tão Black Mirror” abordou o tema. Nela, Agnes Rabelo, editora-chefe do blog de inteligência da Rocket Content, apresentou que diversas tecnologias não estão tão longe da nossa futura realidade em comparação a série da Netflix. Um exemplo é a Samsung, que está em processo de pesquisa com relação a lentes que possam exibir filmes e séries, a exemplo de uma TV, tablet e smartphone. “Chega ser assustador”, opinou Agnes. A palestra ainda trouxe questões de como as marcas  vão lidar com esse avanço tecnológico e a posição do novo marketing , assim como os desafios e as preocupações. Por fim, para essa “surra” de tecnologia, mostrou os profissionais visionários estão procurando entender e se aprofundar mais .

 

 (Agnes Rabelo)

Para melhorar seu modo de interação nos vídeos, a palestra com Camilo Coutinho partilhou conhecimento em  “Como usar os vídeos para construir uma presença online multiplataforma.”. Nela falou sobre O modo de utilizar os vídeos nas diversas plataformas de rede sociais, posições, duração e padronização de fala. Demonstrou também que é possível fazer com pouco recurso algo incrível. Um exemplo são os stories, que podem mostrar em três vídeos de 15 segundos a apresentação do seu conteúdo. No que compete aos lives, ou seja, o ao vivo, Camilo sugeriu uma preparação, a fim de evitar a desconcentração do principal objetivo do vídeo, acrescentando um valor imensurável. Segundo ele, as visualizações não significam engajamentos, não precisa ter muitos números e sim conteúdo pertinente. Para poder possuir um fluxo de clientes é necessário fazer uma pesquisa voltada ao seu segmento com palavras-chaves certas e ter um design de formatos adaptado para as redes. Coutinho abordou ainda sobre o 3P’s (pessoas, proposta e plataforma) e indicou ferramentas de postagem, como Mlabs.

(Camilo Coutinho)

O que compete a marketing sensorial, a palestra do Head de estratégia de marca da ACDI Neurobranding, André Cruz, apresentou em “Neurobranding- Ativa memória e gerar engajamento.” Esta se consiste em uma prática avançada que soma a estratégia de gestão de marca com métodos de conhecimentos neurocientíficos sobre o comportamento do consumidor, ou seja, utilização estratégica que mexa com os sentimentos do consumidor. Isso serve para guiar empresas no processo de construção de memória de marca na mente do consumidor. A força de uma marca está relacionada a capacidade que ela tem de ativar, gerar ou escrever memórias na mente das pessoas por meio de experiências emocionais. Emoções produzem memórias duradoras. De acordo com André, pesquisas e testes no mercado mostram que esse gancho promove o consumo/vendas.

(André Cruz)

(João Cortinhas)

Na palestra “Como se tornar o melhor gestor de redes sociais do mundo”,  João Cortinhas informou que o jeito de administrar as redes é observando os detalhes de comportamento dos usuários, fora a segmentação de tipos de público, e uma análise em geral de como aprimorar o trabalho nesse meio.

(Estevão Soares)

Já Estevão Soares mostrou como trabalhar o analytics + inteligência artificial. Na prática, foram mostrados os meios de automatização das inteligências artificias nos sites de pesquisa, na redes sociais e como elas podem servir para trabalhar nós.

Por fim, o workshop ministrado por Eduardo de Souza “Tire seu chatbot do papel, ou melhor coloque seu chatbot no papel”. Gerente de produtos digitais da Organize meu Condomínio, ele mostrou o passo a passo para se ter um atendimento automático responsivo e, assim, ajudar no aprimoramento do atendimento ou em outros setores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *